quarta-feira, 29 de julho de 2015

O terroir da Itália

Bardot - Vinhos e Artes


Na antiguidade, os gregos chamavam a Itália de Enotria (terra do vinho). Juntamente com a França, é um dos maiores mercados produtores, exportadores e consumidores mundiais de vinho, chegando a produzir mais de 60 milhões de hectolitros por ano. 


A Italia é, de norte a sul, um grande vinhedo. As uvas são cultivadas praticamente em todas as regiões da península italiana, desde os Alpes até as ilhas próximas à África. A viticultura está enraizada na cultura italiana e no seu dia-a dia. Contudo, essa civilização antiga no cultivo da vinha só deu conta de seu inesgotável potencial após os anos 1970. 

Para entender a diversidade de regiões da Itália, estas estão agrupadas de acordo com sua região geográfica,  as macro-regiões, com características geo-climáticas comuns (latitude, altitude e influência marítima),que por sua vez dividem-se em diversas regiões que abrigam dezenas de DOCs (Denominações de Origem).  

Bardot - Vinhos e Artes

Classificação dos Vinhos Italianos:
Vino da Tavola (Vinho de Mesa): vinhos baratos e simples, para o consumo diário. De fácil compatibilização com a comida, os rótulos dessa categoria são os mais populares, porém abrigam alguns excelentes vinhos. Constituem cerca de 80% dos vinhos da Itália. Podem ter qualquer procedência geográfica e não podem ter no rótulo o nome da uva, nem a safra, nem a região.

Indicazione Geografica Tipica - IGT(Indicação Geográfica Típica): essa classificação fica entre a categoria mais popular, a Vino da Tavola, e outras de controle mais rigoroso. É aplicada em vinhos elaborados em regiões geográficas específicas. No rótulo podem constar o nome da uva, a safra, a região e o tipo de vinho (frizzante, amabile, novello, etc.)

Denominazione di Origine Controllata - DOC (Denominação de Origem Controlada): aqui as regras são mais austeras. Determina desde o sistema de poda e plantio dos vinhedos, rendimento máximo por hectare, teor alcoólico dos vinhos, técnicas de vinificação e critérios de envelhecimento. Também podem trazer no rótulo a inscrição VQPRD - Vinho de Qualidade Produzido em Região Demarcada.

Denominazione di Origine Controllata e Garantita - DOCG (Denominação de Origem Controlada e Garantida): categoria máxima dos vinhos italianos, com regras ainda mais rígidas que as dos vinhos DOC. É atribuída aos vinhos de quatorze DOC: Barbaresco, Barolo, Gattinara e Asti, no Piemonte; Franciacorta, na Lombardia; Brunello de Montalcino, Carmigiano, Chianti, Vino Nobile di Montepulciano e Vernaccia di San Gimignano, na Toscana; Albana di Romagna (na Emilia Romagna); Montefalco Sagrantino e Torgiano Rossso Riserva, na Umbria; Taurasi (na Campania).

Alguns vinhos italianos, considerados entre os melhores do país e do mundo, classificam-se apenas como Vino da Tavola ou IGT, por não se enquadrarem nas normas das DOC e DOCG (tipos de uva, métodos de vinificação, etc.), como por exemplo os Super-Toscanos.

Outras categorias não tem relação com qualidade, mas apenas com características específicas que diferenciam determinados vinhos de outros.

Novello (Jovem).

Vecchio (Velho) - Vinho que envelhece o mínimo três anos antes da comercialização.

Classico - Uma denominação que diferencia algumas DOC em níveis de qualidade, por exemplo Chianti e Chianti Classico.

Superiore - Vinho que envelhece no mínimo um ano antes da comercialização.

Riserva (Reserva) - Vinho que envelhece no mínimo três a cinco anos antes da comercialização.

Spumante (Espumante) - Vinho espumante, elaborado tanto pelo método Charmat ou por método Champenoise.

Frizzante (Frizante) - Vinho ligeiramente espumante.

Secco, Abbocado , Amabile e Dolce - Definem o teor de açúcar do vinho que pode ser: seco, práticamente sem açúcar (secco); meio seco ou demi-sec, com teores médios de açúcar (abbocado e amabile); francamente doce (dolce).

Liquoroso (Licoroso) - Vinho fortificado ou naturalmente forte.

Passito (Passificado) - Vinho elaborado de uvas semi-desidratas (passas).

Ripasso (Repassado) - Vinho (Valpolicella) que após elaborado é deixado repousar nas borras de fermentação do Amarone, ganhando corpo, sabor e teor alcóolico.


Regiões produtoras da Itália:
1) Piemonte: região de bons espumantes e de vinhos robustos entre os quais se destacam o grande Barolo. Os tintos dessa região, classificados como DOCG, estão entre os grandes vinhos do mundo. Castas mais comuns: tintas - Barbera, Nebbiolo, Dolcetto; brancas - Moscato, Cortese, Arneis.

2) Toscana:  terra de grandes vinhos, muitos pertencentes à categoria máxima, DOCG. É o berço do popular  Chianti, elaborados com a casta Sangiovese. De lá também são os grandes Brunello di Montalcino. o Sassicaia e o Tignanello, três colocados entre os melhores vinhos do mundo. Castas mais comuns: tintas - Sangiovese, Canaiolo Brunello, Cabernet Sauvignon, Merlot; brancas - Trebbiano di Toscana, Chardonnay, Malvasia.

3)  Vêneto: é conhecido por produzir vinhos de vários estilos, inclusive os espumantes Prosecco. Destaca-se também pela grande quantidade de vinhos que produz. Predominam nessa região os vinhos classificados como DOC. Região dos populares Valpolicella e Bardolino. Castas mais comuns: tintas - Corvina, Molinara, Negrara, Veronese, Rondinella, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot; brancas - Garganera, Trebbiano di Soave, Pinot Grigio.

4) Lazio: região do jovial branco Frascati;

5) Emilia-Romagna: do popular Lambrusco (esses dois últimos são vinhos frisantes muito adequados para o clima brasileiro). 

6) Abruzzo: Nessa região predominam os vinhos populares (Vino da Tavola e IGT), embora alguns DOC sejam reconhecidos por sua qualidade. São de lá: Montepulciano d'Abruzzo (tinto), Trebbiano d'Abruzzo (branco). Castas mais comuns: tintas - Montepulciano d' Abruzzo, Sangiovese; branca - Trebbiano.

Outras regiões:
Lombardia, Trentino-Alto Ádige, Puglia, Calábria, Umbria, Sicília, Calábria, Basilicata, Capânia, Friuli-Venezia Giulia, Ligúria, Marche.


* Fonte e fotos:
academiadovinho.com.br
www.italiaoggi.com.br
www.revistaadega.uol.com.br
sbav.sp.com


A Bardot – Vinhos e Artes possui em seu portfólio diversos rótulos da Cantina Cellaro, um dos produtores mais proeminentes da Itália. 


Serviço:
Bardot - Vinhos e Artes
Rua Barão de Mesquita, 978 A. Praça Verdun, Grajaú, Rio de Janeiro.

Fale conosco:
Telefone: (21) 2575-9395

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...