quarta-feira, 16 de setembro de 2015

O terroir da África do Sul

Bardot - Vinhos e Artes

Na extremidade sul da África, no encontro dos oceanos Atlântico e Índico, está a África do Sul, um país de muitas caras, cores e crenças.  Com uma história marcada pela influência de holandeses, alemães, franceses e italianos, a vitivinicultura sul-africana desenvolveu-se nos anos 90, após o fim do apartheid (regime de segregação racial), focada na qualidade e ganhando o mercado internacional.


Hoje a África do Sul é uma democracia pacífica, e seus 350 anos de vinicultura refletem ao mesmo tempo as tradições do Velho Mundo e as influências do estilo contemporâneo do Novo Mundo.

Cape Town ou Cidade do Cabo, em português, é a porta de entrada para da vitivinicultura do país. Na região sudoeste, conhecida como Cabo, é que estão concentradas as principais áreas vinícolas do país, compreendendo mais de 100.000 hectares de vinhedos cultivados por 4.500 produtores, com cerca de 340 vinícolas em operação.


Os vinhedos se estendem pelas planícies, rodeadas de montanhas de pedra e muito verde, e sobem pelas encostas. De muitos deles se vê, ao fundo, o azul do mar.

Características Geo-climáticas:
Variando da região costeira até o quase deserto, temos uma diversidade de meso-climas e terroirs que trazem diferentes vocações em termos de variedades de uvas utilizadas e vinhos produzidos.

O clima é temperado com verões agradáveis e invernos frios, com chuvas entre maio e Agosto. Ventos vindos do oceano Atlântico, refrescado pela corrente gelada Benguela, amenizam o calor do verão.

Mais para o nordeste, continente adentro, as regiões de Klein Karoo, Olifants River e Orange River tendem a ser mais quentes e secas.


Principais regiões vinícolas:
A África do Sul é o oitavo maior produtor de vinhos do planeta, com 102.146 mil hectares de vinhedos, concentrados principalmente na província de Western Cape, onde fica a Cidade do Cabo, no sul do país. Há ainda uma pequena parcela na vizinha Northern Cape, junto ao rio Orange. Grosso modo, em Western Cape há cinco regiões vinícolas, divididas em 24 distritos, sendo os mais conhecidos Stellenbosh, Paarl, Constantia, Franschhoek, Robertson, Durbanville, Swartland e Olifants River.


Castas:
Os produtores da África do Sul fazem apostas e buscam uma identidade própria para seus vinhos. Muita gente ainda associa a África do Sul ao tinto Pinotage. Essa variedade é genuinamente sul-africana, representando mais de 20% dos vinhos produzidos no país. As uvas que mais se destacam, e que dão origem aos vinhos mais expressivos, são:

Castas Tintas: Cabernet Sauvignon, Merlot, Pinotage, Pinot Noir, Shiraz.(Cinsault e Mourvedre são introduções recentes)
Castas Brancas: Chardonnay, Chenin Blanc, Sauvignon Blanc, Sémillon.


A Bardot – Vinhos e Artes possui em seu portfólio diversos rótulos de de vinhos sul-africanos. Uma boa pedida é a linha Nederburg Foundationcom 5 vinhos: Pinotage,  Shiraz, Cabernet Sauvignon e Sauvignon Blanc, além do Rosé. 



* Fonte e fotos:
www.academiadovinho.com.br
www.sommelierwine.com.br


Serviço:
Bardot - Vinhos e Artes
Rua Barão de Mesquita, 978 A. Praça Verdun, Grajaú, Rio de Janeiro.

Fale conosco:
Telefone: (21) 2575-9395

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...