quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Dicas da Bardot: Rolha ou Screw Cap?

Bardot - Vinhos e Artes


Não é incomum ver um de nossos clientes, apreciador de vinho, torcer o nariz diante de uma garrafa fechada por uma tampa de rosca (screw cap). Normalmente alegam que este tipo de vedante é reservado para vinhos de pouca qualidade, vinhos inferiores. Algumas pessoas também já devem ter-se perguntado porque alguns vinhos utilizam rolhas de cortiça e outros as tampas metálicas conhecidas como screw cap.

A história da rolha de cortiça natural para uso com o vinho tem cerca de 400 anos e a história do screw-cap com o vinho tem cerca de 60 anos. Existe uma maior aceitação, por parte dos consumidores, que um vinho fechado com rolha natural é melhor se comparado com outros tipos de fechamento. Na realidade a decisão do uso de um certo tipo de fechamento em relação a outro tem haver com questões técnicas, custos e as exigências do mercado.

O enólogo possui várias soluções: rolha de cortiça natural, rolha sintética, rolha de vidro (vino-lok) e screw-cap de alumínio. As duas principais soluções são a rolha de cortiça natural e o screw-cap de alumínio.

Vamos entender a diferença na sua utilização?

Bardot - Vinhos e Artes

A rolha de cortiça é um elemento 100% natural, 100% biodegradável, proveniente diretamente da casca de uma árvore da família dos carvalhos, o sobreiro, que é a árvore símbolo de Portugal.

A cortiça é composta por células de suberina com a forma de um minúsculo prisma pentagonal ou hexagonal, um ácido gordo complexo, e preenchida com um gás semelhante ao ar, que ocupa cerca de 90% do seu volume. Portanto, a cortiça contém oxigênio que migra para o vinho, ajudando este a se polimerizar, a se arredondar, mudando irremediavelmente a sua vida e as suas histórias.

Se o objetivo for permitir a evolução do vinho, a decisão será fechá-lo com uma rolha de cortiça natural que permitirá uma mudança positiva no tempo. Os vinhos de guarda sempre usarão rolhas de cortiça.


E o screw cap?


Bardot - Vinhos e Artes

O primeiro screw-cap para vinho foi criado, em meados da década de 60, em uma vinícola australiana, em parceria com uma empresa francesa. O screw-cap ganhou espaço no mundo dos vinhos à custa da imprudência dos corticeiros portugueses, que no final da década de 90 (pique mundial da produção de vinhos) inundaram o mercado com cortiça de má qualidade com composto químico com cheiro a mofo.


Uma das principais vantagens das screw cap é que ela não deixa o vinho bouchonné. Tal expressão significa que a bebida está contaminada por um fungo transmitido pela rolha de cortiça ou pelo próprio ambiente da vinícola. Esta contaminação deixa o fermentado com um cheiro terrível de mofo, tornando-o intragável. O gosto do vinho pode variar do mofado ao avinagrado. A origem do sabor desagradável vem de fungos que contaminam a cortiça. Estima-se que 5% das garrafas de vinhos de todo o mundo estejam bouchonné.

Esta não é a única vantagem da screw cap. Ela nos permite armazenar as garrafas em pé, na vertical, pois não há necessidade do líquido ficar em contato com tampa como na rolha de cortiça. Além disto, é reciclável, de fácil manuseio e dispensa o uso do saca-rolhas.

Em geral, a produção da tampa de rosca tem baixo custo, o que reflete no valor que você paga pela bebida. 


Em suma...


A screw cap não tem influência sobre a qualidade do vinho engarrafado. 

A revista americana Decanter publicou o parecer de analistas e críticos que concordam que a screw cap é o melhor tipo de "rolha" para vinhos tintos ou brancos. Se o objetivo for entregar ao consumidor um vinho próximo daquilo que o enólogo obteve na fermentação e/ou estágio de amadurecimento, o vedante mais indicado para este efeito é o screw cap, que proporciona um fechamento hermético, bloqueando a evolução oxidativa do vinho.

Porém, quando se trata dos vinhos de guarda, as opiniões se dividem, pois a rolha de cortiça permite uma entrada gradual de ar ao longo dos anos que ajuda no envelhecimento de vinhos finos e de caráter, permitindo uma evolução vinho ao longo do tempo.


Sendo assim, vale à pena deixar o preconceito de lado e conhecer ótimos exemplares do mundo de Baco que trazem a tampa de rosca.


Fontes de consulta e fotos:
www.asboascoisasdavida.com.br
www.sobrevinho.net
www.revistaadega.uol.com.br
www.sommelierwine.com.br
www.photos.riganelli.org


Serviço: 
Bardot - Vinhos e Artes 
Rua Barão de Mesquita, 978 A. Praça Verdun, Grajaú, Rio de Janeiro. 


Fale conosco: 
contato@bardotvinhoseartes.com.br 
Telefone: (21) 2575-9395









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...